Traficantes expõem fotos e confessam crimes nas redes sociais

By | September 26, 2013

Rio – Já fizemos várias matérias neste site sobre o tráfico de drogas em Jacarepaguá e em outros pontos do Rio de Janeiro, em pelo menos metade deles a área de comentários do Facebook é invadida por saudações a facção criminosa citada no texto ou ameaças ao site ou a polícia.

O fato é de uma estupidez tão gigantesca que em princípio só consigo pensar que são retardados e até, em alguns casos, sentir pena de quem fez aquilo. Quando o comentário do traficante ou simpatizante do traficante é postado basta um clique no nome da criatura para se acessar o seu perfil e dependendo no nível de privacidade ver suas publicações na linha de tempo e fotos.

Durante a operação Naufrágio que prendeu seis ou sete traficantes no Bateau Mouche e Covanca conversei com um policial que sabe que sou um dos responsáveis pelo site e ele disse que sempre olham esta página por causa dos comentários. Facilita o trabalho policial. O criminoso mostra suas fotos, fala sobre suas atividades e acessando a lista de amigos cria-se uma rede para encontrar outros criminosos.

Por vezes apenas uma foto já é uma confissão de crime, o traficante Antoninho postando uma foto com um FAL na web está confessando porte ilegal de arma de uso restrito, é burrice.

Sou só um fotógrafo amador, as outras duas pessoas que cuidam do site também não tem formação intelectual para analisar este fenômeno, é muito difícil para mim não chamar isto simplesmente de estupidez, com certeza existe uma explicação psicanalítica ou sociológica para isso, eu confesso que não entendo porque alguém confessa crimes e expõe fotos suas, da namorada e as vezes da própria família incluindo crianças.

Este site é contra a violência do tráfico de drogas, violência da milícia e de qualquer outro tipo de crime. Somos a favor da legalização do uso de drogas que iria retirar uma imensa massa de pessoas da vida do crime. Não somos contra de nenhuma forma ao cidadão que é empurrado para a vida no crime por ter vivido toda a vida na miséria.

Sei que é meio utópico mas gostaria muito que os jovens envolvidos com a vida do crime buscassem outros meios de sobrevivência. Não existe um bandido solto e rico gozando de aposentadoria, o destino vai ser sempre a cadeia ou morrer sangrando e abandonado pelos ditos companheiros na mata como aconteceu com o traficante Tiquinho.

Saiam desta merda de vida molecada.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *