Traficante Polegar volta para Bangu I após dois anos em presídio de Rondônia

By | January 10, 2014

traficante-polegarFonte: Jornal Extra

Depois de mais de dois anos preso na unidade federal de segurança máxima de Porto Velho, em Rondônia, o traficante Alexander Mendes da Silva, o Polegar, volta para o Rio de Janeiro nesta sexta-feira. A chegada está prevista para esta noite, na Base Aérea do Galeão. Ele virá num voo comercial. O ex-chefe do tráfico da Mangueira vai direto para Bangu 1, no Complexo de Gericinó. No dia 19 do mês passado, a Justiça de Rondônia mandou que o criminoso retornasse imediatamente para o Rio.

Em setembro, já havia sido negado pela 3ª Vara Federal de Rondônia pedido da Justiça daqui para que Polegar continuasse no estado. Já que não houve recurso daqui contra a decisão, foi determinado o retorno. O traficante chega acompanhado de outro criminoso que também estava em Porto Velho, o miliciano Alcemir Silva, o Fumão. A Justiça federal de lá também determinou, no dia 17 de dezembro, que o criminoso fosse devolvido ao Rio. O destino de Fumão será a unidade de segurança máxima Bangu 1.

Atualmente, o que mantém Polegar atrás das grades é um mandado de prisão preventiva num processo no qual ele responde por uma morte e onze tentativas de homicídio durante uma rebelião dentro do Complexo de Gericinó, em 2003. O criminoso já acabou de cumprir as penas pelas quais havia sido condenado em outras ações judiciais. Em abril do ano passado, o Tribunal de Justiça do Rio concedeu um habeas corpus a Polegar, determinando que ele fosse solto imediatamente. O Ministério Público entrou então com um recurso para que o criminoso continuasse preso. Em liminar, o pedido foi aceito, o que mantém o criminoso atrás das grades por enquanto.

Polegar estava em Rondônia desde outubro de 2011, quando foi preso na cidade de Pedro Juan Caballero, na divisa do Brasil com o Paraguai, quando comprava um carro de luxo. Ele estava com documentos falsos. A região na qual o traficante foi capturado se tornou local de refúgio de traficantes cariocas que se escondem da polícia.

Na decisão do juiz Herculano Martins Nacif, da 3ª Vara Federal de Rondônia, determinando a volta imediata do criminoso, o magistrado afirma que se o Rio de Janeiro não aceitasse receber o preso de volta, entrando com novos recurso, outros detentos daqui não serão aceitos na penitenciária de lá.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *