Traficante Marreta do Comando Vermelho e a incompetência das autoridades de segurança pública

By | November 19, 2013

traficante-marreta-cvRio – O traficante Marreta faz parte do segundo escalão do Comando Vermelho, sua atual incumbência é expandir as áreas de domínio da facção criminosa. A ordem veio da cúpula da quadrilha na figura dos vagabundos Elias Maluco e Marcinho VP que querem contra-atacar o estado que ocupou para implantação de UPPs áreas que tradicionalmente pertenciam a quadrilha.

Marreta fugiu com outros 27 vagabundos do Instituto Penal Vicente Piragibe no início deste ano. O presídio é uma peneira velha, apesar de estar no mesmo complexo que outros presídios de segurança máxima ainda funciona para presos que estão no regime semi-aberto e que não receberam da justiça o direito para sair e trabalhar fora, o risco de fuga é de 100%. Todos os apenados pertencem ao Comando Vermelho.

Por conta da tradição de corrupção no país a primeira coisa que muita gente pensou após a fuga é que ela havia sido comprada, mas é interessante conhecer o presídio Vicente Piragibe para entender um pouco mais da situação. Uma velha prisão agrícola que foi “reformada” porcamente pelo estado para parecer um presídio. Por mais absurdo que pareça dois mil homens do Comando Vermelho dormem trancados em suas celas e pela manhã OITO agentes abrem as celas e todos saem para a gigantesca área da instituição e passam o dia soltos falando ao celular, usando e vendendo drogas, etc.

A noite são chamados de volta para suas celas, sempre voltam porque sabem que se houver desobediência o GIT (Grupo de Intervenções Táticas da Seap) vai entrar e a porrada vai comer e muito dolorida, o GIT é a melhor tropa do país para disturbios em prisões e agentes de todos os estados vem ao Rio para fazer seu curso.

Com a ordem da cúpula do CV para retomada de territórios as lideranças presas deveriam ir para a rua e cumprir suas missões, nessa hora se deu a fuga, não é difícil cavar um buraco numa gigantesca área descampada com apenas oito agentes tomando conta de dois mil presos. Se houve conivência ou não dos agentes não posso afirmar, a incompetência do estado neste caso é o próprio presídio.

Marreta foi para o Complexo do Lins onde começou a planejar como seriam executadas as ordens da cúpula para retomada de territórios, seu primeiro alvo foi o complexo de favelas da Covanca, Bateau Mouche, Chacrinha e São José Operário. Conseguiu seu objetivo e retomou a Covanca, São José Operário e Bateau Mouche. Uma operação em setembro/2013 enfraqueceu a quadrilha e uma Companhia Destacada da PM foi implantada na Covanca. De qualquer forma a quadrilha continua forte na área de mata e nos morros Bateau Mouche e São José Operário.

Entra agora mais uma vez a incompetência do estado, esta companhia destacada da Covanca, que pertence ao 18º BPM, não tem sido efetiva para policiar a área de mata acima da comunidade. A área da Praça Seca que faz parte do mesmo complexo mas é policiada pelo 9º BPM está entregue as moscas. o batalhão simplesmente não atua. Sei como é difícil o trabalho da polícia e o trabalho da polícia é a guerra, o grande problema é que o 9º não faz absolutamente nada, nenhuma operação, incursões, prisões, nada.

O comando da PM deveria verificar o motivo de se ter tantas denúncias para o 190, tantos vídeos que gravamos e seu batalhão da área não se move.

O traficante Marreta circula por estas semanas entre o morro Jorge Turco e a favela da Maré ainda organizando a expansão do Comando Vermelho, se as polícias continuarem a receber seu troquinho o monstro vai crescer tanto que não será possível dominá-lo.

 

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *