Tenente Leidson Acácio, subcomandante da UPP do Parque Proletário é morto por traficantes

By | March 14, 2014

subcomandante-acacioO Complexo de favelas da Penha precisa com urgência de mais uma varredura com ajuda de forças federais para prender ou matar os traficantes que estão assassinando trabalhadores na comunidade;

Policiais militares deveriam se recusar a entrar na favela antes que isso seja feito.


Fonte: O Dia

Rio – O subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, tenente Leidson Acácio Alves Silva, de 27 anos, morreu no fim da noite desta quinta-feira, após um ataque simultâneo de bandidos a PMs no Parque Proletário, no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio. O oficial da PM foi baleado na testa e chegou a ser levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas (HGV), no mesmo bairro, mas não resistiu. Um container foi alvo de tiros. Ele é o 18º PM morto este ano no Rio, o quarto lotado em UPP somente nos 14 primeiros dias de março.

Segundo um PM que trabalha nas comunidades da Vila Cruzeiro e do Parque Proletário – que juntamente com os morros da Fé e do Sereno e as comunidades da Grota formam o Complexo da Penha – o ataque ocorreu a quatro grupos de PMs que patrulhavam as comunidades, por volta das 22h30. O tenente Leidson e outros nove militares foram alvo de um grupo de pelo menos 20 marginais, na Rua 10. Eles tiveram que se refugiar em uma casa enquanto solicitavam socorro.

Sob intenso fogo cruzado, um ambulância do Samu conseguiu chegar meia hora depois e resgatar o oficial ferido. No HGV, o tentente ainda foi submetido a uma cirurgia, mas acabou não resisitndo. PMs lotados nas UPPs da Vila Cruzeiro e do Parque Proletário, familiares e amigos de Leidson se solidarizaram na porta do hospital ao saber da morte do oficial.

Após a ação dos criminosos, um menor foi apreendido em uma moto próximo a uma pedreira na parte alta do Parque Proletário. O local é rota de fuga de bandidos após atacar PMs, segundo policiais da UPP. Policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do 16º BPM (Olaria) reforçaram o policiamento durante a madrugada na Vila Cruzeiro e no Parque Proletário em busca dos marginais que realizaram os ataques. A Divisão de Homicídios assumiu as investigações da morte do tenente Leidson.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *