Quatro PMs são presos por agressão e morte de jovem no Largo do Campinho, Zona Norte do Rio

By | February 23, 2014

Fonte: G1

A Polícia Militar do Rio informou que quatro policiais foram afastados e presos após a morte de um adolescente de 17 anos no bairro do Campinho, Zona Norte do Rio, na madrugada deste domingo (23). Parentes e amigos de Fabiano Oliveira Braga afirmam que o rapaz morreu após ser agredido por agentes do 9º BPM (Rocha Miranda).

A sessão de agressões teria acontecido na Rua Maria José. Fabiano estava sem capacete na garupa da moto de um amigo quando a dupla foi abordada por quatro PMs. As agressões teriam começado depois que Fabiano pediu para fazer uma ligação e avisar a família que estava sendo levado para a delegacia. Após ser agredido, teria caído no chão e batido com a cabeça.

Fabiano chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Madureira, mas não resistiu.

Segundo nota da PM, assim que a corporação tomou conhecimento da gravidade dos fatos da ocorrência, o comandante-geral, coronel José Luís Castro Menezes, determinou que os quatro policiais envolvidos (Leonardo Alves da Silva, 25 anos, Phellipe da Sá Laranjeira Azevedo, 23 anos, Carlos Henrique Conceição da Silva, 26 anos, e Hugo Leonardo Silva de Carvalho, de 29 anos) fossem autuados pela Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM ). Num primeiro momento, eles foram presos administrativamente na sede do 9º Batalhão da Polícia Militar. Ainda hoje os quatros vão ser encaminhados para a Unidade Prisional da PM.

Ainda de acordo com a corporação, o comandante do 9º BPM (Rocha Miranda), Tenente-Coronel Wagner Morehtzohn, esteve na 29ª DP (Madureira) para tomar conhecimento dos fatos e acompanhar pessoalmente o caso. Segundo ele, a viatura estava fora da área de atuação, já que pertencia à Companhia Destacada do Morro São José Operário e o fato ocorreu no Campinho. Se ficar comprovado, ao longo do Inquérito Policial Militar, que isso ocorreu sem uma justificativa, os policiais também terão cometido um crime militar, o que pode resultar em um procedimento administrativo e culminar com a expulsão deles dos quadros da PM.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *