Polícia prende suspeito do assassinato da universitária Pâmela Belarmino na Ilha do Governador

By | October 13, 2013

Pamela-BelarminoFonte: O Dia

Rio – Um homem de 44 anos foi preso neste domingo acusado de assassinar a universitária Pâmela Belarmino, de 19 anos, encontrada morta no início da manhã deste sábado na Praia da Ribeira, na Ilha do Governador, na Zona Norte. O corpo da jovem é sepultado neste domingo no Cemitério de Irajá. O suspeito é um colega de faculdade da vítima. Ele foi preso por agentes da Divisão de Homicídios (DH).

De acordo com a especializada, um registro do desaparecimento da jovem havia sido feito na última sexta-feira na 21ª DP (Bonsucesso). Pâmela foi encontrada com sinais de estrangulamento e com o dedo de um dos pés quebrado. De acordo com testemunhas, ela foi vista pela última vez por volta das 10h saindo da faculdade Unisuam, em Bonsucesso, de onde seguiria para o estágio, no Centro, mas não apareceu na empresa.

A mãe, Márcia Belarmino, começou a desconfiar quando a jovem não deu notícias após deixar a faculdade. Segundo Márcia, Pâmela sempre entrava no Skype às 13h e neste dia não apareceu. Preocupados, parentes espalharam cartazes pelo bairro e postaram mensagens na Internet pedindo informações sobre o paradeiro da menina.

“Ela nunca se atrasou no emprego. Estranhamos quando ligaram falando que ela não tinha chegado”, disse Ana Lúcia Assis, vizinha da vítima, que amparava a mãe de Márcia, muito abalada.

A primeira notícia veio quando uma mulher, que trabalha próximo à Praia da Ribeira, ligou para um dos telefones divulgados nos cartazes e informou que viu um corpo no mar. A informante disse ainda ter visto um casal brigando próximo ao local onde Pâmela foi encontrada.

A estudante estava no sexto período do curso de Administração. Segundo a família, ela não tinha namorado ou ninguém que aparentemente pudesse querer seu mal. “Ela não bebia e saía sempre com a mãe”, lamentou Ana Lúcia. “Nós queremos justiça”, disse. A família afirma ter pedido as imagens das câmeras da faculdade e que teria sido negado.

 

O assassino

O assassino

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *