Polícia prende o traficante Napão, chefe da venda de drogas no Jardim América, RJ

By | January 9, 2014

traficante-napaoFonte: Jornal Extra

Policiais militares do 16º BPM (Olaria) prenderam, durante operação, na manhã desta quinta-feira, na Comunidade Furquim Mendes, em Jardim América, um homem acusado de ser o chefe do tráfico de pelo menos nove comunidades da região. Além de Raphael Faria Ferreira, o Napão, de 32 anos, dois suspeitos foram detidos. A ocorrência será registrada na 22ª DP (Penha).

De acordo com o coronel Ismael Venâncio, comandante da unidade, Napão estava tentando fugir da favela, se passando por morador, com outros dois bandidos, em um Fiat Uno aparentemente clonado. A ação foi desencadeada porque o Serviço de Inteligência do batalhão recebeu a informação de que o traficante dormiria no Jardim América. Além da comunidade, ele também frequenta as favelas do Dique, Kelson’s, Picape e Corte Oito.

– É importante frisar que foi um trabalho de inteligência, em conjunto com o Grupo de Ações Táticas (GAT) do 16º BPM. Nenhum tiro foi dado – informou o comandante.

Com o grupo, foi apreendida uma pistola de fabricação israelense, um carregador, 1.050 pedras de crack, 1.100 papelotes de cocaína, 12 litros de cheirinho da loló, além de dois rádios transmissores.

Contra Napão, há pelo menos quatro mandados de prisão por roubo, em São João de Meriti e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e no Rio. Uma das prisões foi decretada, no último dia 25 de julho pelo juiz Ailton Augusto dos Santos, da 3ª Vara Criminal de Caxias.

De acordo com o despacho, outras medidas cautelares que não fossem a prisão mostrariam-se inadequadas e insuficientes para “garantir a ordem pública” e a correta instrução criminal. O magistrado alega que a gravidade do crimes – roubo com emprego de arma de fogo – e o indício da autoria estão provados nos depoimentos das vítimas na delegacia. Ailton ainda explica que Napão não aprosentou comprovante de residência nem comprovou que trabalhava de maneira lícita.

O criminoso estava foragido desde 5 de julho de 2007 do Instituto Penal Edgar Costa. Beneficiado pelo regime semi-aberto, o traficante recebeu, no dia 26 de junho do mesmo ano, o direito da Visita Periódica ao Lar (VPL) do juiz Eduardo Barbosa, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Tribunal de Justiça.

No dia 18 de setembro, no entanto, a juíza Yedda Christina Ching San, também da VEP, determinou a regressão de Raphael para o regime fechado por ele não ter retornado ao presídio. A magistrada considerou, na época, que o preso “descumpriu as condições impostas e consequentemente demonstrou que não tem a responsabilidade exigida”.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *