Instrutor de tiro reage a assalto mata um bandido e fere outro em Maria da Graça, RJ

By | January 22, 2014

Fonte: O Dia

Rio – Um suspeito de 17 anos foi morto e outro homem foi baleado pelo instrutor particular de tiro Jorge Antonio Couto Correia, de 50 anos, durante uma tentativa de assalto na noite desta terça-feira, no bairro de Maria da Graça, Zona Norte. O local fica próximo a um dos acessos à Favela do Jacarezinho, onde há uma UPP. O profissional foi ferido com um tiro transfixante no joelho que acabou atingindo também o pé. Ele está internado no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, assim como o suspeito ferido. Duas armas foram apreendidas pela polícia.

Jorge-Antonio-Couto-Correia
Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Em vídeo gravado por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora da Favela do Jacarezinho no hospital, Jorge Antonio contou que tinha acabado de sair da academia, na Rua Mendes da Silva, por volta das 22h, quando foi abordado por dois homens armados que desembarcaram de um Fiat Palio prata. Desarmado, ele se atracou com o menor de idade, entrou em luta corporal com ele e conseguiu pegar a arma. O suspeito tentou fugir, mas foi baleado na esquina com a Rua Miguel Angelo. Rubens Nunes dos Santos, 17, morreu no local.

Ainda segundo Jorge Antonio, houve troca de tiros e ele acabou baleado no joelho esquerdo. O projétil transfixou a articulação e acabou o atingindo no pé direito. O outro suspeito também foi baleado. Ele ainda não teve o nome revelado e não se sabe seu estado de saúde. O instrutor de tiro foi submetido a uma cirurgia durante a madrugada.

Com o barulho do confronto, policiais da UPP do Jacarezinho que estavam em uma base próximo foram para o local. Eles socorreram os feridos para o Hospital Salgado Filho, onde ambos estão internados. O motorista do Palio que dava cobertura a ação da dupla conseguiu fugir. Uma pistola e um revólver calibre 38 foram apreendidos.

Policiais da Divisão de Homicídios periciaram o local do crime durante a madrugada. O motorista Josuel Souza Santos, de 53 anos, disse que o filho não trabalhava e tinha abandonado o colégio há dois anos.

“Estou surpreso. É duro receber uma topada dessa. Só Jesus… Só lamento”, disse o pai conformado, afirmando que o filho nunca havia sido preso. Ele disse não saber de qualquer participação de Rubens com ações criminosas. Ele tem outro filho de 12 anos.

A dona de casa Sonia Medeiros, mãe do menor, disse que disse que falou com o filho pela última vez antes dele sair de casa, por volta das 21h30. Ela ainda perguntou se o filho estava levando documento de identidade. Ela não soube dizer quem era o jovem baleado que estava com Rubens.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *