Guerra na Zona Norte: área do 9º BPM teve 173 assassinatos em 2013

By | March 2, 2014

Fonte: Jornal Extra

A morte de três jovens, em menos de um mês, após abordagens de policiais do 9º BPM (Rocha Miranda), acabou revelando uma realidade de violência e confrontos na região, que abrange a chamada Aisp 9. Nela, foram registrados, em 2013, 18 autos de resistência (mortes em confronto), mais de um por mês. Já os roubos na região, no ano passado, explodiram: foram 8.146, contra 6.974 em 2012. Os homicídios na área também subiram: de 143 em 2012 para 173 no ano passado.

protesto-comunidade-bateau-mouche-praca-seca-8

— A região do batalhão é muito complexa. Temos aqui uma tensão permanente, porque há disputas entre facções rivais e também de milícias. A guerra entre (os morros do) Cajueiro e Serrinha é a principal que temos hoje, que nos obriga a a fazer incursões com mais frequência. É óbvio que isso provoca uma tensão permanente nos policiais — explica o comandante do 9º BPM, tenente-coronel Wagner Moretzsohn.

Além dos dois casos deste ano, soma-se aos casos envolvendo PMs do batalhão a morte de Vítor Moura dos Santos, no bairro de Colégio, em julho do ano passado. Em comum, o fato de todas as vítimas estarem em motocicletas. Para Moretzsohn, no comando do batalhão desde dezembro de 2013, é isso que pode explicar os excessos.

— Na região, a maioria dos assaltos acontece com meliantes que utilizam motos. Isso nos faz ter uma atenção especial para os motociclistas, principalmente quando andam sem capacete de com a placa coberta. Então, os erros podem acontecer — analisa o tenente-coronel.

protesto-comunidade-bateau-mouche-praca-seca-2VÍTIMAS DA VIOLÊNCIA

Flagrante

No caso mais recente, no último dia 23, Fabiano Braga, de 17 anos, morreu durante uma abordagem de quatro PMs do 9º BPM, em Oswaldo Cruz. Segundo um amigo da vítima, o jovem caiu depois de levar socos e coronhadas dos policiais, que estão presos no BEP pelo caso.

Depoimentos

Nos depoimentos, aos quais o EXTRA teve acesso, os PMs deram outra versão. Eles contam que Fabiano e o amigo passaram na moto em atitude suspeita, e ficaram olhando para trás e, por isso, iniciaram a perseguição. Os quatro policiais negam terem agredido Fabiano.

PMs indiciados

Em 10 de fevereiro, dois mototaxistas — Alan de Souza Pereira, de 20 anos, e Gleberson Nascime nto Alves, de 28 — foram mortos em Rocha Miranda, após serem perseguidos por três policiais do 9º BPM. Os PMs dispararam contra os jovens, após eles se recusarem a parar, e plantaram uma arma com eles. Os policiais serão indiciados pelas mortes.

Arma plantada

No caso mais antigo, o de Vitor, os familiares do jovem acusam três PMs do crime, e dizem que eles também plantaram uma arma com a vítima. A Divisão de Homicídios investiga o caso.

Protestos

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *