Assassinos da família do estilista Beto Neves confessam participação do advogado Michel Salim

By | October 11, 2013

Fonte: Jornal Extra

A Divisão de Homicídios (DH) de Niterói prendeu na manhã desta sexta-feira dois suspeitos de assassinar Linete Loback, de 65 anos, Manuela Neves, de 22, mãe e sobrinha de Beto Neves, estilista da marca Complexo B, e Rafany Pinheiros, de 23, namorado de Manuela. De acordo com o delegado titular da DH, Wellington Vieira, as investigações levaram a polícia a crer que os assassinatos ocorreram a mando do ex-padrasto de Manuela, Michel Salim. Romero Gil da Rocha, 54 anos, que trabalhava como segurança do empresário, e Pablo Medeiros, suspeito de ser o executor, confessaram os crimes e assumiram que assassinaram as vítimas a mando de Salim.

 

advogado-michel-salim

 

Para o estilista Beto Neves, o advogado Michel Salim sempre foi o principal suspeito do crime por conta do histórico de conflitos com Manuela e Linete. Beto definiu Salim como um psicopata e dono de uma mente doentia.

— Salim é um psicopata. A prisão desses assassinos de aluguel mostra que nenhum crime é perfeito, agora torço para que a polícia pegue o “cabeça” do grupo. Eles acabaram com a vida dos amores da minha vida mas em nenhum momento cultivei ódio, acredito na justiça. A hora dele vai chegar — desabafou o estilista.

Os supostos assassinos estão prestando depoimento na Divisão de Homicídios. Até 6h, a polícia já tinha tentando localizar Michel em dois endereços, na casa dele e na de sua amante, mas o empresário não foi encontrado.

O crime aconteceu na casa onde eles moravam, na Travessa da Cruz, em Venda da Cruz, São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Laudo preliminar da necrópsia apontou que cada uma das vítimas levou dois tiros. Segundo o relatório, Manuella levou tiros no queixo, de baixo pra cima, e no olho direito. Os ferimentos de Rafany foram no supercilio e no pescoço. Já Linete levou tiros no peito e ao lado da boca. Os disparos feitos contra Rafany e Linete foram a curta distância. Já Manuella levou tiros a queima-roupa.

Segundo a polícia, Manuella Neves da Câmara Coutinho Bouri registrou 40 boletins de ocorrência em delegacias de Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, contra o ex-padrasto, o advogado Michel Salim. As queixas foram de agressões físicas e verbais. A informação foi passada pelo delegado Wellington Vieira, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, responsável pela investigação das mortes de Manuella, do noivo da jovem, Rafany Pinheiros e da avó dela, Linete Loback Neves.

Os boletins de ocorrência foram registrados a partir de 2008. Trinta foram feitos por Manuella, sua mãe, Rosilene Neves, de 44 anos, e Linete. Outros dez são queixas apenas de Manuella. Num dos boletins, em novembro de 2010, a jovem contou ter sido xingada pelo ex-padrastro de “marginal” e “peste”. No início deste ano, Manuella teria filmado uma coação feita contra sua mãe: Michel esteve na casa de Rosilene para buscar as duas filhas que teve com ela, de 10 e 11 anos, acompanhado de seguranças.

 

Matéria da Record

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *