Arquiteta Natália Duffles está internada no Peru e seguradora não paga o traslado para o Brasil

By | September 17, 2013

Natalia-DufflesFonte: G1

A família aguarda a alta da arquiteta brasileira Natália Duffles, operada às pressas em uma cidade no Peru após descobrir um tumor no cérebro. A seguradora AXA Assistence negou o traslado para o Brasil antes da cirurgia alegando que a paciente precisava provar que o problema não era uma doença pré-existente. Ela segue internada na cidade de Cuzco e ainda não há previsão de liberação do hospital.

A brasileira, de 32 anos, viajava em férias quando passou mal no último dia 6, sofreu convulsões e entrou em coma. Foi diagnosticado um tumor no cérebro. Ela estava sozinha no país já que uma amiga voltou ao Brasil alguns dias antes.

No dia 8, um domingo, os parentes foram avisados da situação e da necessidade de uma cirurgia o mais rápido possível. A Visa Platinum, que vendeu o seguro de saúde internacional para Natália, foi acionada. O serviço foi terceirizado para a Axa Assistance, representada pela seguradora Inter Partner no Brasil, que primeiramente autorizou a viagem ao Brasil e cancelou o voo horas antes do horário previsto.

Segundo André Bittencourt, cunhado de Natália, o custo do voo seria de US$ 83 mil. A família teria entrar com mais US$ 33 mil para a utilização da UTI móvel já que o valor de seguro era de US$ 50 mil. Mesmo assim, a seguradora cancelou este novo voo.

Nesse meio tempo, a Visa decidiu pagar integralmente os custos do traslado, mas o estado de saúde de Natália piorou na última quinta-feira (12) e foi realizada uma cirurgia de emergência. As últimas informações, segundo o cunhado, são de que o estado de saúde de Natália é estável. Os médicos orientaram-na a evitar falar. André Bittencourt diz que a família ainda não teve retorno sobre a resultado da tomografia e da biópsia feitas.

De acordo com ele, nunca foi percebido nenhum sinal de que a arquiteta apresentasse algum problema que indicasse condições para um tumor.

Os pais de Natália estão com a filha no Peru e estão pagando por conta própria os custos de hospedagem. A passagem da mãe foi paga pela Visa. O cunhado afirma que neste momento “não passa pela cabeça pensar em um processo judicial. Tudo o que queremos é tê-la de volta ao Brasil com saúde”.

A Visa afirma que não irá comentar o caso porque diz que tem como política “manter a privacidade dos clientes”. Procurada pelo G1, a Inter Partner não deu o posicionamento até o momento da publicação desta reportagem.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *