Advogada Francine Bruggemann suspeita de ligação com facção terrorista PGC tira a roupa em presídio

By | February 17, 2013

Fonte: Clic RBS

A advogada acusada de formação de quadrilha e investigada pela possível participação em outros crimes praticados pelo Primeiro Grupo Catarinense (PGC), Francine Bruggemann deu um show no presídio feminino de Florianópolis.

Eram 17h deste sábado quando as sete mulheres detidas na Operação Salve Geral da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) chegaram de micro-ônibus na unidade. Elas foram escoltadas por policiais da Deic e da Coordenadoria de Operações Policiais Especiais (Cope), em sete carros e viaturas.

Cercada por policiais e pelas outras mulheres detidas, Francine começou a gritar dizendo que a prisão era um absurdo. No auge do descontrole, a advogada arrancou a camiseta e ficou de sutiã e calça jeans no pátio externo do presídio.

Policiais contaram que desde sua prisão, naquela madrugada, a advogada demonstrava descontrole e não parava de reclamar e falar alto, algumas vezes gritando. A polícia contou também que assim que entrou no presídio, Francine levou uma bronca por seu comportamento escandaloso.

A advogada disse que é inocente e negou envolvimento com o crime e a facção PGC.

Os dez homens presos que foram no mesmo comboio aguardavam no micro-ônibus do lado de fora do presídio. Na sequência, foram transferidos para a Central de Triagem do Estreito.

 



 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *