Author Archives: editor

Traficantes do Comando Vermelho atacam milicianos na comunidade Batô Muche – Vídeo

Bandidos e policiais militares trocaram tiros, na noite desta terça-feira, na Favela Bateau Mouche, na Praça Seca, Zona Oeste do Rio. Segundo o 9º BPM, houve um tiroteio entre traficantes e milicianos na comunidade. A polícia foi acionada e, ao chegar ao local, houve novo confronto entre militares e os criminosos, que acabaram fugindo. Não houve presos nem feridos.

 



 

Homem é encontrado morto dentro de carro na rua Florianópolis na Praça Seca

assassinato-rua-florianopolisFonte: G1

O corpo de um homem foi encontrado dentro de um carro na Praça Seca, Zona Oeste do Rio, na manhã deste domingo (14). A Divisão de Homicídios instaurou inquérito para identificar o autor do crime. A polícia não descarta nenhuma hipótese para o crime.

De acordo com uma testemunha, o corpo estava no porta-malas do carro. A Rua Florianópolis, onde o veículo foi encontrado, chegou a ser fechada para a realização da perícia da Polícia Civil. Agentes da DH estão em busca de câmeras de segurança que tenham flagrado o momento em que o carro foi abandonado.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), mas não havia sido identificado até 17h deste domingo.

 



 

Piscina da Vila Olímpica do Mato Alto tem sido invadida por adolescentes

vila-olimpica-mato-altoUma molecada que acessa a piscina da Vila Olímpica pela mata da comunidade Batô Muche vem invadindo a piscina durante o dia e intimidando frequentadores e professores, quem presenciou a cena não sabe dizer se os garotos são de fato do Batô Muche.

Senhoras que fazem atividades no complexo esportivo desistiram ou diminuíram a frequência na Vila, elas tem medo das invasões e tem medo também das pedras que são jogadas da área de mata dentro da piscina. Esses garotos não são bandidos nem estão armados.

Moleque pulando muro para tomar banho na piscina alheia é coisa da infância da maior parte das pessoas, mas invadir na base da intimidação e jogar pedras em pessoas é caso de polícia.

 



 

Polícia Militar encontra homem sendo torturado por traficantes em operação na Praça Seca

operacao-bope-praca-seca-dezembro-2014-4Fonte: O Dia

Rio – Policiais militares do Comando de Operações Especiais (COE) fazem uma operação, na manhã desta sexta-feira, em comunidades da Praça Seca e Jacarepaguá, que são ligadas por uma serra. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) está nos morros da Praça Seca e Covanca, em Jacarepaguá. E os PMs do Batalhão de Ações de Cães (BAC) em São José Operário e Bateau Mouche.

Segundo os PMs, o objetivo era destruir um acampamento utilizado pelo tráfico, construído no alto da serra que liga essas e outras comunidades, como o Fubá, em Cascadura; e Morro do 18 e Caixa D’agua, em Quintino. Quando os policiais chegaram ao local encontraram um homem que estava sendo torturado por um dia.

De acordo com o Bope, o homem estava muito ferido e foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. O nome e estado de saúde dele não foram divulgados. A vítima estava sendo torturada por ser irmão de um traficante pertencente a uma quadrilha rival. Os bandidos apenas esperavam a chegada do chefe do Morro da Covanca para executá-lo.

Esse acampamento foi localizado durante operações que o batalhão realiza nas comunidades há duas semanas para tentar controlar os constantes tiroteios que ocorrem na região com facções rivais e milicianos. A Polícia Militar informou que ainda não houve prisões e apreensões. A ação não tem previsão para acabar.

Na quarta-feira, a Polícia Civil realizou uma operação que desarticulou uma milícia que agia em comunidades como Fubá, Campinho e Caixa D’água, que também são ligadas pela mesma serra e guerreavam pelo controle das comunidades. O secretário de segurança, José Mariano Beltrame, afirmou que iria reforçar o patrulhamento na área para impedir que o tráfico entrasses nas comunidades.

 



 

Polícia Civil faz operação para prender milicianos do Morro do Fubá em Campinho, Zona Norte

miliciano-preso-morro-fuba2Fonte: O Dia

Rio – Agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco-IE) realizam uma megaoperação desde o início da manhã desta quarta-feira para combater uma milícia que atua nas comunidades do Fubá, Campinho e Caixa D’Água, na Zona Norte do Rio. São 48 mandados de prisão, cinco deles contra policiais militares. Quatorze pessoas já foram presas, três delas PMs.

Com 450 policiais participando da operação, chamada de Armagedom, o objetivo é cumprir mandados de prisão contra cinco PMs, um contra um ex-policial militar e um contra um agente da Guarda Municipal. Entre os presos está o terceiro sargento Jorge da Silva Santos Júnior, conhecido como Janjão, lotado no 22º BPM (Maré). De acordo com o delegado da especializada, Luiz Augusto Braga, ele é responsável pela região de Cascadura dominada pela milícia.

Janjão estava em liberdade condicional após ser preso em uma outra operação da Draco. A área de dominação dos milicianos foi divida em três: Cascadura, Fubá e Caixa D’Água. O líder do criminosos é Tarcísio de Moura, que também é procurado.

miliciano-preso-morro-fuba

Também foram presos o cabo do 5º BPM (Praça da Harmonia) Bruno Guarany de Carvalho, e Carlos Roberto Bernardo, soldado da UPP Caju/Parque Alegria. Foram apreendidas oito máquinas caça-níqueis em um bar na Rua Iguaíba. Buscam ser cumpridos também 123 mandados de busca e apreensão contra a milícia. Ainda estão foragidos o PM Rafael Àvila, cabo também lotado no batalhão da Maré, e o ex-cabo da corporação Sérgio Gurgel Machado.

A ação acontece em parceria com o Ministério Público, Subsecretaria de Inteligência (SSINTE) da Secretaria de Segurança, Polícia Civil, Corregedoria Geral Unificada, Corregedoria da Polícia Militar e da Corregedoria da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Os integrantes da quadrilha também são apontados como cruéis e estão envolvidos na prática de homicídios, ocultação de cadáveres, tortura, roubos, lesões corporais graves, extorsões, ameaças, constrangimentos ilegais e injúrias. Em um dos crimes, um menor de 15 anos foi executado na frente da mãe após ir a um baile funk em uma comunidade tida como rival. Segundo as investigações, os moradores da região dominada por eles precisam obedecer ordens e restrições ditadas pelos milicianos.

A quadrilha é acusada de exploração do controle do transporte alternativo (vans e mototáxis), de monopolizar a venda de botijões de gás com preços superfaturados, a cobrança irregular de ‘taxas de segurança’, distribuição de sinais de TV a cabo e Internet feita de forma ilícita, além da prática de agiotagem com extorsão de juros estratosféricos.

miliciano-preso-morro-fuba3
Gatonet sendo cortado, hoje não tem novela

Imagens de Thiago Lontra – Agência O Globo

 



 

Chapa 2 vence as eleições do Sind-Degase

A Chapa 2, liderada pelo Agente Socioeducativo João Luiz Pereira Rodrigues, venceu as eleições para do Sindicato dos Funcionários do Departamento Geral de Ações Socioeducativas. Com 177 votos contra 143 da chapa da situação.

Esta nova formação do sindicato chega com a promessa de mudanças na forma de luta dos trabalhadores do Degase por melhoras nas condições de trabalho e será cobrada por isso por todos os funcionários que anseiam por um sindicato mais combativo.

chapa-2-degase

chapa-2-degase-2

 



 

Operação da polícia na Praça Seca busca pelo traficante Marreta do Comando Vermelho

traficante-marreta-cvFonte: O Dia

Rio – Policiais federais, com reforço de policiais do Bope e da Polícia Civil estão, desde a madrugada desta sexta-feira, no Morro São José Operário, na Praça Seca, em operação para captura do traficante de drogas Luiz Claudio Machado, conhecido pelo apelido de Marreta. Líder do Comando Vermelho, ele controla o comércio de drogas na região e é responsável pelo fornecimento de armas para os criminosos da facção criminosa . O Portal dos Procurados oferece recompensa de R$ 5 mil por indicações que possibilitem sua captura.

Conhecido pelo perfil violento, o traficante fugiu do Instituto Penal Vicente Piragibe, em dezembro de 2012, através de um túnel ligado à tubulação de esgoto do presídio. Antes da prisão, ele chefiava pontos de droga no Complexo do Alemão até a ocupação pelo Exército. Em liberdade, passou a circular por favelas dominadas pelo CV. Comandou o tráfico de drogas no Complexo do Lins até a instalação da UPP na área, em novembro do ano passado.

Antes mesmo da perda de território, passou a se envolver em confronto com facções rivais. Em outubro de 2013, um adolescente apreendido pela 32ª DP (Taquara) com três fuzis disse que o armamento seria entregue à quadrilha de Marreta. Segundo ele, o traficante teria assumido o controle do tráfico de drogas no Morro do Banco, na Barra da Tijuca.

Em novembro, a quadrilha de Marreta espantou rivais do TCP (Terceiro Comando Puro), que tentaram tomar o território dominado pelo CV no Morro do Urubu, em Pilares. No dia 30 de dezembro, voltou a entrar em confronto com a mesma facção rival ao orquestrar uma tentativa de invasão à favela do Muquiço, em Guadalupe.

Em agosto de 2011, ele foi preso em um apartamento na localidade denominada Mangueira 2. Com o traficante, foram apreendidos cerca de 6 kg de cocaína distribuídos em mais de 5 mil cápsulas. A droga, segundo a polícia, abasteceria o Morro Jorge Turco. De acordo com a investigação, o traficante estaria tentando reestruturar aquadrilha que agia no Complexo do Alemão antes da pacificação.

Fotos: Notícias Rio Brasil

operacao-bope-praca-seca-dezembro-2014-1

operacao-bope-praca-seca-dezembro-2014-3

operacao-bope-praca-seca-dezembro-2014-4

operacao-bope-praca-seca-dezembro-2014-5

operacao-bope-praca-seca-dezembro-2014-7

operacao-bope-praca-seca-dezembro-2014-2

 



 

UPP do Morro dos Macacos é atacada por criminosos nesta madrugada – Vídeo

upp-morro-dos-macacos-atacadaFonte: G1

Mais de mil alunos da rede municipal ficaram sem aula na manhã desta quinta-feira (4) no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, após um ataque de criminosos à base da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, os 1.173 alunos prejudicados pertencem a quatro escolas, uma creche e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI). Em nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que as aulas de suas unidades não foram afetadas na região.

De acordo com a PM, o ataque foi à base da Rua Armando de Albuquerque, que fica atrás do antigo Jardim Zoológico. Um policial que estava de serviço ficou ferido. Ele foi atingido na perna e nas costas e levado para o Hospital Federal do Andaraí, na Zona Norte. Ele não corre risco de morrer.

Homens do 6º BPM (Tijuca) davam apoio aos policiais da UPP por volta das 7h na busca pelos criminosos responsáveis. O caso foi registrado na 20ª DP (Vila Isabel).

Em nota, a assessoria das UPPs informou que o soldado baleado passa bem. Leia a íntegra do informe:

“Pouco antes das 6h desta quinta-feira (4/12), tiros foram disparados contra a sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, em Vila Isabel. Na ação, um policial foi atingido e socorrido para o Hospital Federal do Andaraí. O agente permanece internado e seu quadro de saúde é considerado estável. O policiamento está reforçado na região e equipes do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs, do 6º BPM, de outras UPPs e um helicóptero do Grupamento Aeromóvel (GAM), auxiliam nas buscas dos criminosos que efetuaram os disparos. O caso está sendo registrado na 20ª DP (Vila Isabel)”.

Vídeo

 



 

Mulher é atropelada na rua Barão na Praça Seca

Uma senhora foi atropelada quando atravessava o sinal em frente ao Sorvetão na rua Barão, a mulher ficou com a perna presa em embaixo da roda do ônibus. O motorista estava muito nervoso e tentou retirar o veículo mas a lesão na perna já era gravíssima, segundo informações de comerciantes da área a mulher teria perdido o membro.

atropelamento-mulher-praca-seca

 



 

Traficantes do comando vermelho da favela do Rodo atacam milicianos do Cesarão em Santa Cruz

Moradores de Santa Cruz informam que desde às 14:00 horas desta terça-feira escutam tiroteios em várias comunidades do bairro. Traficantes do CV atacaram milicianos da favela do Cesarão. O grupo paramilitar tomou um antigo reduto da facção em 2013, desde então os traficantes tentar retormar o território e quem se ferra, só para variar são as pessoas origadas a conviver com a guerra de fuzis em suas portas.

Foi interrompido o tráfico do BRT Transcarioca.

Não há informações oficiais sobre mortos ou feridos, as pessoas da comunidade que nos ajudam com informações está trancada dentro de casa esperando o tiroteio acabar.

avenida-cesareo-de-melo

 



 

Adolescente infrator foge do Cense Dom Bosco na Ilha do Governador

Na tarde desta segunda feira (01), um interno fugiu do Cense Dom Bosco (antigo Instituto Padre Severino), unidade de internação provisória do Novo Degase.

Por volta de 14 horas, ao retornarem para um dos prédios anexos, após a realização de um mutirão de limpeza executado pelos funcionários terceirizados que prestam serviços ao órgão, um deles correu em direção a um alambrado, escalando e pulando para um portão dos fundos, que dá acesso à Estrada das Canárias. Após alcançar o portão, o jovem escalou, passou por entre a concertina de giletes e pulou.

Agentes do Degase trabalham desarmados, o único equipamento que pode ser usado é o spray de pimenta que necessita de autorização da coordenação para ser acionado.

padre-severino

 



 

Homem morre em operação do Bope na Favela de Acari

Policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) fazem uma operação na Favela de Acari, na Zona Norte do Rio, na manhã desta segunda-feira. Houve tiroteio na chegada dos agentes à comunidade. Um homem, ainda não identificado, ficou ferido e foi levado para o Hospital de Acari. Com ele, de acordo com os agentes, foi apreendida uma pistola calibre 9mm. A ocorrência está sendo registrada na 39ª DP (Pavuna).

operacao-bope-acari



 

Homem joga granada em policiais militares na Serrinha e é morto no confronto

Na manhã desta sexta-feira, agentes da P2 do 9º BPM (Rocha Miranda) foram ao Morro da Serrinha em Madureira verificar denúncia de tráfico de drogas na comunidade. Ao chagar ao local foram recebidos a tiros de pistola por um homem que também atirou uma granada na direção dos militares. Os agentes revidaram e o bandido morreu num beco da favela de onde se abrigava para atacar os policiais.

Nenhum agente ficou ferido, com o homem foi apreendido uma pistola Glock 9mm, rádio transmissor e uma quantidade não contabilizada de cocaína e um cinto de uso militar.

A ocorrência foi encaminhada para a 29ª DP.

homem-morto-serrinha

drogas-serrinha

 



 

Três suspeitos morrem durante operação contra o tráfico no Morro do Jordão

operacao-jordao-fuzilTrês suspeitos foram baleados e morreram, e outro foi ferido, durante uma operação da comunidade do Jordão, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, com policiais do Comando de Operações Especiais (COE), Bope, Batalhão de Choque (BPChq), Batalhão de Ação com Cães e GAM, 18ºBPM (Jacarepaguá) e da Polícia Civil, durante uma operação nesta sexta-feira (28). A informação foi confirmada pela Polícia Civil.

Um policial militar ficou levemente ferido por estilhaços.

Segundo a Polícia Militar, os corpos teriam sido encontrados em uma área de mata da comunidade.

Durante a ação que teve como objetivo reprimir o tráfico de drogas na região, cinco pessoas foram presas e um menor apreendido, além de quatro pistolas, duas granadas, uma réplica de fuzil, munições diversas, um colete, camisas da policia, drogas ainda não contabilizadas e três motocicletas.

O ferido foi socorrido e levado ao Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. As ocorrências foram registradas na 41ªDP (Tanque). A operação continuava em andamento até as 16h30.

homens-mortos-jordao

 



 

Bope faz operação na comunidades do Jordão e Chacrinha em Jacarepaguá

Fonte: O Dia

Rio – Policiais do Comando de Operações Especiais (COE) da PM – Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), BPChoque, Batalhão de Ações com Cães (BAC) e Grupamento Aéreo Marítimo (GAM) – e do 18ºBPM (Jacarepaguá) realizaram desde o início da manhã desta sexta-feira uma megaoperação nos morros do Jordão e da Covanca, na divisa dos bairros Tanque e da Taquara, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

A ação ocorre três dias depois de O DIA denunciar o clima de medo que tomou conta dos moradores com a guerra sem trégua e os violentos confrontos armados entre traficantes de drogas e milicianos pela disputa do território, sem qualquer tipo de apoio da polícia. Segundo o Serviço Reservado (P-2) do 18ºBPM, até às 7h não havia informações sobre prisões, feridos ou apreensões.

De acordo com moradores, os tiroteios começaram em agosto, quando traficantes do Comando Vermelho tomaram o morro do controle da milícia que dominava o local. Porém, nas últimas duas semanas, os confrontos ficaram mais intensos.

Nas mãos dos moradores circulam várias fotos que comprovariam esses relatos. Nas imagens, há bandidos ostentando armamento pesado e pichações que mostram ameaças da facção criminosa à milícia que atuava dentro da comunidade.

“O Morro do Jordão está à mercê da bandidagem. Uma hora é o tráfico, com vagabundo vendendo droga e andando de fuzil para cima e para baixo, outra hora é milícia, que fica extorquindo morador. Polícia, aqui, nem chega perto. Não adianta chamar porque eles não vêm”, reclamou um comerciante, que pediu para não ser identificado.

Subir? Nem pensar

A queixa, no entanto, não retrata fielmente à realidade. Numa das entradas da favela, num posto de gasolina que fica na Estrada do Cafundá, uma das principais do bairro, em frente à Rua Jordão, uma viatura da Polícia Militar está sempre presente. Mas apenas para constar. Subir o morro, nem pensar.

“Não temos condições de subir o morro neste momento porque o confronto vai ser inevitável”, admitiu um dos policiais. Segundo ele, não houve e nem está prevista nenhuma operação na comunidade. “Estamos todos aguardando o que vai acontecer na corporação, em relação a essa troca de comando. O comandante atual é interino, e quando é assim estas operações ficam suspensas”, explicou o policial.

O DIA pediu à Polícia Militar explicações sobre o patrulhamento no Morro do Jordão, mas não obteve retorno até o fechamento da edição de terça-feira. Já a Policia Civil informou, através de nota divulgada pela assessoria de imprensa, que há um inquérito que apura o tráfico de drogas na região, e que a delegada Márcia Julião, titular da 41ªDP (Tanque), não recebeu qualquer denúncia envolvendo milícias, mas que a guerra seria entre quadrilhas rivais que estão disputando o controle do tráfico na comunidade.

presos-jordao

presos-jordao

operacao-jordao

operacao-chacrinha